CROSP Araraquara: 11.004 - Dr. João R. Gonçalves CRORT 29.221 - CROSP São Carlos: 16.033 - Dr Luciano Rezende da Cunha CRORT 86422



Uma desarmonia facial, que compromete a beleza do rosto, pode indicar mais do que um problema estético. Geralmente, são resultado de um crescimento exagerado ou inadequado de algum dos ossos que envolvem a face como a mandíbula, o maxilar, o queixo (ou mento), o nariz ou o malar (a maçã do rosto). 

A assimetria facial ocorre nestes casos e essa alteração normalmente começa durante a fase de crescimento e se estabiliza na idade adulta, comprometendo a harmonia e a beleza do rosto.

Além da questão estética, essa alteração causa outros problemas que afetam a saúde e o bem estar dos pacientes. Como os dentes que não se encaixam da forma ideal, o individuo sofre uma certa dificuldade na mastigação de determinados alimentos, e também um desgaste excessivo dos dentes acarretando em uma exposição das raízes dentárias. 

A dificuldade de respirar, de dormir ou de pronunciar algumas palavras também podem ser alguns dos sintomas desse comum problema, assim como dores na região da cabeça e pescoço, zumbidos e dificuldade para abrir e fechar a boca adequadamente.

O problema atinge um número grande de pessoas. Estima-se que 25 a 30% da população apresenta algum grau de desarmonia facial e que pelo menos a metade desse total necessita de tratamento.

A correção do problema é feita por meio da Cirurgia Ortognática, intervenção voltada para devolver ao rosto a harmonia estética e funcional, que associa o tratamento ortodôntico ao cirúrgico.

A cirurgia não é indicada em todos os casos. A avaliação deve ser feita por profissionais qualificados, que vão orientar o tratamento. Depois de uma avaliação detalhada do crescimento ósseo facial, uma equipe formada por um cirurgião buco-maxilo-facial e um ortodontista pode optar entre indicar um tratamento ortodôntico corretivo ou a Cirurgia Ortognática

Nos últimos anos, a cirurgia ortognática tornou-se extremamente sofisticada, permitindo que até mesmo os casos mais leves de malformação sejam submetidos ao tratamento com resultados muito favoráveis. A cirurgia consiste, basicamente, em colocar os maxilares na melhor posição possível, de tal forma que garanta a saúde das articulações têmporo-mandibulares, dos tecidos bucais, da respiração correta, das funções da fala e da mastigação, da oclusão e da estética facial.

A tecnologia utilizada na área é tão avançada que softwares podem indicar a cirurgia específica para cada caso e proporcionar a visualização aproximada dos resultados.

A fase de avaliação e preparação é longa, de cerca de um ano e meio. Durante esse período, o tratamento ortodôntico vai procurar corrigir a mordida e a função mastigatória com o uso de aparelhos ortodônticos convencionais, colaborando com resultados mais rápidos após a cirurgia.

Após a cirurgia, o paciente deve continuar utilizando aparelho ortodôntico por um período que pode variar de seis a doze meses, dependendo do caso. O resultado, no entanto, traz melhoras significativas tanto na estética facial quanto na qualidade de vida dos pacientes, devolvendo a harmonia e a beleza do rosto.

Fonte: www.band.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

HTML tags are not allowed.