(16) 3303-4777

0800 771 5914

Av. Dr. Gastão Vidigal, 295

Araraquara-SP

Escolha uma Página

 

A amamentação tem sido incentivada por ser o leite materno não só o alimento mais completo e digestivo para crianças de até um ano de idade, como também por ter ação imunizante, protegendo-as de diversas doenças. Crianças aleitadas ao peito têm melhor desenvolvimento mental e maior equilíbrio emocional. A amamentação é gratificante para a mãe e interfere beneficamente na saúde da mulher, por exemplo, diminuindo a probabilidade de câncer de mama, ajudando na involução do útero e na depressão pós-parto. Hoje, diz-se que o leite materno é ecologicamente correto, pois não consome recursos naturais em sua produção e não gera lixo, como ocorre com os leites artificiais, além de ser mais barato. Porém, poucos sabem que a amamentação tem reflexos futuros na fala, respiração e dentição da criança.

Um exercício muito importante.
Quando a criança é amamentada, está não só sendo alimentada, como também fazendo um exercício físico importante para desenvolver sua ossatura e musculatura bucal. Ao nascer, o bebê tem o maxilar inferior muito pequeno, que irá alcançar equilíbrio no tamanho em relação ao maxilar superior tendo seu crescimento estimulado pela sucção do peito.

Toda a musculatura bucal é desenvolvida, músculos externos e internos, que, solicitados, desenvolvem os ossos.

Mamar no peito não é fácil, daío bebê ficar bastante transpirado. Esse exercício é o responsável inicial no crescimento harmonioso da face e dentição. Usando mamadeira, esse exercício é quase inexistente, e a preferência do nenê pela mamadeira vem da facilidade com a qual ele ganha o leite, principalmente quando este flui por um furo generoso no bico. Para exercitar-se com maior eficiência, a posição durante a mamada é importante: a criança deverá ficar o mais verticalizada, o que também facilita a deglutição do leite.

Uma atitude na tentativa de evitar apinhamento dental (dentes “acavalados”).
Maxilares melhor desenvolvidos propiciarão um melhor alinhamento da dentição, diminuindo a necessidade futura do uso de aparelhos ortodônticos. Músculos firmes ajudarão na fala. Durante a amamentação, aprende-se respirar corretamente pelo nariz, evitando amigdalites, pneumonias, entre outras doenças. Quando a criança respira pela boca, os dentes ressecados ficam mais expostos à cárie e as gengivas ficam inflamadas, os maxilares tendem a sofrer deformações e os dentes, a ficar “encavalados”, aumentando também o processo de cárie.

A amamentação prepara o bebê para a mastigação.
A mamadeira costuma tornar-se uma companheira para a criança ao longo de anos, habituando-a a uma dieta mole e adocicada, que aumenta o risco de cáries (cárie de mamadeira); a criança tende a recusar alimentos que requeiram mastigação. Depois da amamentação, a mastigação correta continuará a tarefa de exercitar ossos e músculos. A amamentação prepara a criança para a mastigação. Muitas mães reclamam que seus filhos, já crescidos, não mastigam corretamente e recusam verduras e frutas, apreciando apenas doces e iogurtes. Esquecem-se essas mães de que o que os habituou a essa foi o uso prolongado da mamadeira. Mastigação incorreta pode levar também a problemas de obesidade e de estômago.

Evitando hábitos prejudiciais.
Atrelada à mamadeira, vem a chupeta, que também é usada normalmente por muito tempo, e o hábito de chupar o dedo, afetando o posicionamento dos dentes e trazendo também conseqüências danosas à fala e à respiração.

Abandonando a mamadeira.
A partir dos quatro meses, quando a mãe lentamente começar a introduzir outros alimentos (desmame), deverá fazê-lo usando apenas copos e colheres, evitando o uso de mamadeira ou “chuquinha”.

Caso haja real necessidade do uso de mamadeira, sempre optar por modelos com bicos ortodônticos, cujo design tenta simular o movimento do sucção feito na amamentação natural.

Prevenindo a cárie.
A primeira consulta odontológica de uma criança deveria ser antes do nascimento de seu primeiro dentinho; nesse primeiro encontro, o odontopediatra orientaria a respeito da higienização, dieta e como proceder quando os dentes começarem a irromper e a incomodar o bebê. Entre outras coisas, aconselharia os pais a acostumarem-se a levar seus bebês ao dentista, assim como os levam ao pediatra, no sentido de se poder acompanhar de perto o desenvolvimento destes na tentativa da erradicação da doença cárie.

Fonte: Site Multioral

Sobre

Obrigado por nos visitar.

Nossa tecnologia conta com o sistema CAD/CAM que permite a reabilitação imediata devolvendo aos pacientes a harmonia do sorriso, a estética facial e a capacidade mastigatória em menos de 24 horas com implantes feitos sem a necessidade de incisões ou suturas.

Últimos Posts

O que é Implantodontia?

O que é Implantodontia?

Abaixo, seguem diversas dúvidas sobre implantodontia. Todas esclarecidas por um dos maiores especialistas no assunto. O que é um implante dentário? Um implante dentário é um sistema de reposição de dentes perdidos onde o mais comum é  composto por uma liga de titânio,...

Fechando mais um Módulo da Turma 15 de cirurgia Ortognática!

Fechando mais um Módulo da Turma 15 de cirurgia Ortognática!

Fechando mais um Módulo da Turma 15 de cirurgia Ortognática em Ribeirão Preto nesta sexta-feira. Caso complexo com resultado sensacional. Super preparo ortodôntico do parceiro Dr. Ralph Soares Azevedo ( Jaú- SP) Parabéns pessoal pela cirurgia! JRG Odontologia (...

Siga-nos

 

2018 - JRG Odontologia - Desenvolvido por Wab.com.br